A Caio Induscar definiu esta semana a dispensa de 140 funcionários que trabalhavam na produção. Destes, 100 mantinham contratos temporários de 3 meses, ou seja, chegaram ao término da jornada contratada.

Outras 40 pessoas estão sendo desligadas da empresa. A informação foi confirmada na manhã desta quinta-feira, dia 10, ao pelo Sindicato dos Metalúrgicos. A empresa ainda não se manifestou oficialmente.

“Eu confirmo que houve essas demissões. Estamos preocupados com todos, em especial com os temporários, que já trabalharam na Caio um dia. Eles estavam felizes com o emprego e vão voltar a enfrentar o desemprego e isso mexe com as pessoas. Isso  mostra que não houve crescimento no país. O que a gente houve no rádio e na TV de crescimento não existe pra gente”, disse ao Acontece Botucatu José Carlos Lorenção, diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Botucatu.

Segundo informações, apesar de algumas vendas confirmadas nos últimos meses, a produção diminuiu sensivelmente no segundo semestre. Hoje, em média, 20 carros são fabricados por dia, segundo os Metalúrgicos.

Lorenção mostrou preocupação com a situação, que já era prevista, mas que pode se agravar ainda mais segundo ele.”Essa situação é ruim para o trabalhador, para a cidade, pra gente do sindicato. Já estávamos ouvindo que a produção estava caindo e pode diminuir ainda mais. Agora vamos aguardar os próximos dias”, completou o dirigente sindical.

Antes dessa nova leva de dispensas, a Caio Induscar trabalhava com 2600 colaboradores. Em 2016, com o entendimento dos funcionários, a empresa reduziu a jornada de trabalho. O Acontece Botucatu acompanha o caso e na tarde de quarta-feira, dia 09, fez uma solicitação dessas informações para a comunicação da empresa. (Acontece Botucatu)

Últimas Notícias : Pages : FM Integração